Copa trará “avanço zero” para economia do Brasil, diz agência internacional

A Copa do Mundo que será realizada neste ano no Brasil proporcionará avanço mínimo para a economia do país. É o que afirma relatório da agência internacional Moody´s, de classificação de risco, segundo revela reportagem do site do “Estadão”. Nas contas da instituição, o torneio mundial de futebol trará para o Brasil um ganho estimado de R$ 25,2 bilhões, o que, pela ótica da produção de bens e serviços (PIB, o Produto Interno Bruto), o impacto é ínfimo. Comparando os dados do Moody´s aos do IBGE, impacto é de 0,5% no PIB, valor que praticamente iguala os gastos que estão previstos para a Copa (até o momento, calcula-se que a Copa consumirá R$ 28 bilhões em gastos). Ainda de acordo com o estudo, os problemas de mobilidade urbana e os dias perdidos de trabalho por causa dos jogos tendem a minimizar ou anular o empurrão no PIB dado pelos segmentos de serviços.

Leia mais no site do “Estadão”.

Estadão: documentos revelam pagamento extra da Petrobras para sócia em Pasadena

O preço final que a Petrobras pagou pela operação de compra da refinaria Pasadena, nos Estados Unidos, não para de subir. Segundo matéria do jornal Estado de S.Paulo, a Petrobras pagou US$ 85,14 milhões à empresa belga Astra Oil, em fevereiro de 2007, para garantir à sua então sócia na Pasadena um lucro mínimo com o negócio, atendendo à exigência do acordo de acionistas que as duas empresas haviam assinado no ano anterior. Com esse desembolso, o preço final que a estatal brasileira pagou pela operação do Texas sobe de US$ 1,18 bilhão para pelo menos US$ 1,265 bilhão. De acordo com o “Estadão”, o pagamento é confirmado em memorando da Astra à Receita Federal americana apresentado em um dos processos judiciais nos quais as duas empresas se enfrentaram. Com data de 19 de dezembro de 2008, ele tenta esclarecer dúvidas levantadas pelo auditor J. Clark Armitage sobre a natureza da transferência. Diz o “Estadão” que os advogados da Astra respondem que o desembolso é um “pagamento garantido”, que deveria ser feito pela Petrobrás à Astra quando a receita da empresa de trading que abastecia a refinaria de Pasadena ficasse abaixo de determinado patamar. Esse benefício seria pago por dois anos, no valor máximo de US$ 85,14 milhões em cada um deles, em um total de US$ 170,28 milhões.

Leia mais no “Estadão”.

A expectativa para a CPI da Petrobras no Jornal da Dez da GloboNews

O requerimento que cria a CPI da Petrobras deve ser lido nesta terça-feira(01/04) na sessão plenária do Senado. No fim de semana, novas denúncias foram divulgadas e outro diretor da Petrobras foi demitido. Os governistas vão trabalhar para que os dissidentes retirem as assinaturas.  “Eu espero que o regimento seja respeitado, e que as assinaturas sejam mantidas”, disse o senador Alvaro Dias ao Jornal das Dez. Veja o vídeo

TCU diz que Petrobras sonega informações e impede investigações sobre desvios e superfaturamentos

Matéria da “Folha de S.Paulo” deste domingo (30) mostra que a Petrobras vem travando, nos últimos anos, batalha com o Tribunal de Contas para atrasar e sonegar informações e impedir auditorias do órgão. A auditoria que o tribunal realiza na compra da refinaria de Pasadena (EUA) é um exemplo dessa ação da empresa de dificultar investigações. Segundo a “Folha”, o autor da denúncia que originou as apurações sobre Pasadena, o procurador do TCU Marinus Marsico, pediu documentos para fazer a análise da compra em 2012. Segundo ele, a Petrobras deixou de encaminhar vários atos que foram solicitados. Também na investigação sobre o superfaturamento nas obras da refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco, o TCU apontou suspeitas de irregularidades que alcançam R$ 1,6 bilhão apenas nos cinco principais contratos para o empreendimento. Segundo informa a “Folha”, o Tribunal diz que na auditoria sobre a Abreu e Lima, a Petrobras vem obstruindo a fiscalização.

Leia mais na Folha de S.Paulo.

Memórias do Golpe

Em entrevista para a série Memórias do Golpe, produzida pela Agência Senado, o senador Alvaro Dias (PSDB-PR) faz uma viagem no tempo e recorda os momentos de luta política durante a ditadura. Para ele, o grande aprendizado é ter a liberdade como maior valor. Leia e veja o vídeo

A semana no Congresso

Veja as imagens da semana de articulações políticas no Senado para a concretização da CPI do Petrobras. Depois de reuniões, conversas em plenário, coleta de assinaturas e adesão de governistas, o requerimento de criação da CPI foi protocolado. A leitura na sessão plenária está marcada para a próxima terça-feira.Clique aqui para a galeria do Flickr

 

Governo bom de propaganda mas ruim de execução: obras de infraestrutura no setor de saúde não saem do papel

O governo do PT vem centrando fogo em sua publicidade oficial no programa Mais Médicos, que terá orçamento de mais de R$ 1,5 bilhão em 2014 para alavancar a candidatura da presidente Dilma. Mas ao mesmo tempo em que aumenta os gastos com propaganda e com a contratação de médicos estrangeiros, o governo deixa de realizar melhorias na infraestrutura básica do setor de saúde pública. De acordo com levantamento inédito do Conselho Federal de Medicina, divulgado pelo site Contas Abertas, das 24.006 obras do PAC 2 programadas desde 2011 e que deveriam ser “tocadas” pelo Ministério da Saúde e pela Fundação Nacional de Saúde, para projetos de construção e de reforma de Unidades Básicas de Saúde (UBS), Unidades de Pronto-Atendimento (UPA) e ações de saneamento, apenas 11% foram concluídas. O PAC 2 refere-se ao período 2011/2014 e mesmo com a maioria das obras inacabadas, o governo já menciona o PAC 3.

De acordo com o Contas Abertas, das 21.519 obras restantes para a infraestrutura do setor de saúde, apenas 9.509 encontram-se em execução. Cerca de metade (12.010) das obras de Saúde inscritas no PAC 2 ainda estão “no papel”. A maior parte (10.328) encontra-se em ação preparatória. Para especialistas do setor de saúde consultados pelo Contas Abertas, os atrasos são uma evidência dos imensos equívocos e dificuldades do planejamento, pelo governo, das atividades e ações previstas para concretizar políticas públicas no Brasil.

leia mais no site Contas Abertas.

Folha de S.Paulo: contradição de Graça Foster mostra incompetência

Matéria do jornal Folha de S.Paulo desta sexta-feira (28) afirma que os parlamentares de oposição, como o senador Alvaro Dias, criticaram a versão da presidente da Petrobras, Maria das Graças Foster, que disse desconhecer comitê interno da refinaria de Pasadena (EUA), identificado pela estatal há mais de sete anos, conforme revelado pela “Folha” nesta quinta-feira (27). Para Alvaro Dias, a fala de Graça Foster mostra que a gestão do PT trata a estatal com desinteresse. “Isso revela descaso com uma empresa tão importante para o país. São negócios de valores expressivos tratados como se fossem migalhas, com desdém. Isso beira a irresponsabilidade administrativa”, disse Alvaro Dias à “Folha”.

Leia a matéria na íntegra na Folha.