Dias de Alvaro

Quem de nós abriria mão de um salário vitalício de R$30.471,00? Alvaro Fernandes Dias abriu. O valor diz respeito à aposentadoria de ex-governador do Paraná. O benefício é legal. Dias o considera imoral. E deixou de receber quase R$ 10 milhões desde que deixou o governo do Paraná, 26 anos atrás. Leia mais no Jornal Pitoco ou no site.

 

Senado aprova projeto de Alvaro Dias sobre APAES sugerido por Rosângela Moro

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou, nesta quarta-feira (28/3), o Projeto de Lei (PLS 22/2017) do senador Alvaro Dias que garante um fundo de reserva para APAES, associações que cuidam de portadores de necessidades especiais. O projeto foi aprovado de forma terminativa (sem a necessidade de passar pelo plenário) e, agora, segue para a Câmara dos Deputados.

O projeto que cria o fundo foi sugerido a Alvaro Dias pela Procuradora Jurídica da Federação Nacional das APAES (Fenapaes), Rosângela Moro, esposa do Juiz Sérgio Moro. Segundo ela, que esteve no gabinete do senador com outros representantes das APAES, as associações estão tendo muitas dificuldades devido à inadimplência nos convênios com estados, prejudicando inclusive o pagamento dos salários dos professores. “Os convênios respondem por quase a totalidade da receita das APAES”, disse Rosângela Moro.

Na CCJ, o relator, senador José Pimentel (PT/PI), deu parecer favorável ao projeto, destacando que “ o fundo de reserva terá o importante efeito de resguardar as APAES e a própria sociedade contra intercorrências danosas”.

A proposta apresentada por Alvaro Dias altera a Lei 13.019/2014(que estabelece o regime jurídico das parcerias entre a administração pública e as organizações da sociedade civil) para criar o fundo emergencial que terá uma vigência de 5 anos.

Alvaro Dias que sempre atuou na defesa das APAES e, como relator do Plano Nacional de Educação (PNE), garantiu a permanência das associações como forma de valorizar a educação inclusiva, comemorou a aprovação do seu projeto: “ As APAES sempre estiveram e sempre estarão na nossa linha de prioridade”, disse o senador.

Partitocracia e reeleição – Sugestão de leitura

Impedir a chegada de novas gerações ao poder e consolidar o clientelismo patrimonialista e oligárquico, após a redemocratização, vem sendo a grande agenda da política brasileira. Mudam a lei eleitoral com frequência garantindo o continuísmo, desestimulando novos nomes que possam renovar os partidos políticos. A criação, em tempos recentes, do Fundo Eleitoral e do Fundo Partidário é um exemplo. Nesse ano abocanharam aproximadamente 2,6 bilhões de reais para as agremiações partidárias. Ressalte-se que, no passado recente, essas entidades privadas (os partidos políticos) não contavam com o dinheiro público. Passamos a viver o tempo da “partitocracia” que na imensa maioria não representa os interesses nacionais, mas unicamente os interesses pessoais e oligárquicos. Consolida a profissionalização da atividade política em todos os níveis. No futebol vende-se o passe do jogador, agora surgiu o mercado da compra de deputados. Para mudar de partido o valor varia de R$ 1 milhão a R$ 2,5 milhões. Tudo bancado pelo Fundo Eleitoral. “Leia o artigo de Hélio Duque na integra clicando aqui”

Pacote tampão

Em entrevista à TV Senado, o senador Alvaro Dias falou sobre os 15 projetos elencados pelo governo como prioritários para substituir a reforma da previdência, que não será mais votada pelo Congresso

Vittorio Medioli se filia ao Podemos e vai coordenar o partido em Minas

O prefeito de Betim, Vittorio Medioli, se filiou, nesta terça-feira (20/2), ao Podemos. A cerimônia de filiação, acompanhada de prefeitos de vários estados e parlamentares, aconteceu no gabinete do senador Alvaro Dias, pré-candidato do partido à presidência da República. A presidente do Podemos, deputada Renata Abreu, também estava presente.

Vittorio Medioli assinou a ficha de filiação sob aplausos, e disse ver na figura do senador Alvaro Dias seriedade, honestidade e comprometimento.

O prefeito de Betim assumirá a presidência do Podemos-MG “O objetivo é coordenar em Minas a campanha de Alvaro Dias à presidência da República. Na situação caótica por que passa o Brasil, ele desponta como uma opção de moralidade, experiência, equilíbrio e competência testada e comprovada”, destacou Vittorio Medioli

Além de Vittorio, outros 11 prefeitos mineiros anunciaram a migração para o Podemos.

 O senador Alvaro Dias comemorou a filiação: “O prefeito Vittorio Medioli é um grande líder em Minas Gerias. Ele, como prefeito de Betim, arrumou a casa com ajuste fiscal, saneamento financeiro e reforma administrativa. É o modelo de gestão que se deseja para o País. A filiação de Medioli não é apenas um salto de qualidade, mas a definição de rumo que queremos”.

Veja a galeria de fotos, clique aqui.

 

Alvaro Dias recebe sugestões de economistas para tirar o País da crise

O senador Alvaro Dias se reuniu, nesta terça-feira (20/2), com uma equipe de economistas para discutir o diagnóstico da crise brasileira, e as possíveis soluções diante do déficit fiscal que ameaça o crescimento econômico.

A equipe técnica mostrou ao senador como a máquina pública foi inchada, especialmente pelas políticas populistas implementadas pelo PT, e apontou os desafios que serão enfrentadas pelos novos governantes em 2019, especialmente pelo novo presidente da República e pelos novos governadores. “Precisamos de um presidente que tenha autoridade para enfrentar o déficit e tenha coragem de fazer cortes de gastos na máquina pública”, disse o técnico, destacando que o senador Alvaro Dias já vem, há bastante tempo, insistindo no discurso do inchaço da máquina e da necessidade de cortar gastos supérfluos

Alvaro Dias vem debatendo e recebendo sugestões de técnicos de diversas áreas, como segurança pública, saúde e educação.

Debate público caótico – Sugestão de Leitura

“Encapsulado para enxergar a realidade, parcela do eleitorado brasileiro alimenta a esperança no surgimento de figuras públicas providenciais. As marquetolagens dos profissionais da mentira, nas últimas eleições, venderam com êxito a fantasia das soluções mágicas para os grandes problemas brasileiros. Ao invés de soluções para a edificação de uma sociedade menos desigual, resultou em governança inviável com crises recorrentes, gerando administrações públicas, em todos os níveis, negadoras das reformas modernizantes.” “Leia o artigo de Hélio Duque na integra clicando aqui”