PIB mundial: 10% é turismo – Sugestão de Leitura

O turismo é chamado de indústria sem chaminé e visto, por muitos brasileiros, como mera atividade de lazer. É muito mais que isso. É a terceira atividade econômica que mais cresce no mundo e responde por 10% do PIB (Produto Interno Bruto) mundial. Em cada 12 postos de trabalho no mundo, 1,3 é gerado pelo turismo. São comprovados pela OMT (Organização Mundial de Turismo), vinculada à ONU e pesquisada pela Oxford Economics. Aponta que até 2025 o emprego no turismo crescerá a media de 3,1% ao ano. No Brasil o setor envolvendo todos os segmentos de serviço que o integra que é enorme gera 8,6% dos empregos. Superando os serviços financeiros, de comunicações e de mineração, por exemplo.“Leia o artigo de Hélio Duque na integra clicando aqui”

Alvaro Dias fala sobre o agronegócio no Canal Rural

Canal Rural gravou com Alvaro Dias sua primeira entrevista com os presidenciaveis. Alvaro foi o primeiro convidado do canal. A entrevista foi liderada por Alessandra Mello, e contou com a participação do ex-ministro Roberto Rodrigues e por Luiz Cornacchioni, diretor da ABAG – Associação Brasileira do Agronegócio. Na pauta da entrevista, os desafios para alavancar ainda mais o agronegócio, as reformas essenciais, como a tributária e a administrativa, a questão da discussão sobre a contribuição sindical, o relacionamento com os outros países, entre outros assuntos.

Como os presidenciáveis pretendem desarmar a bomba fiscal brasileira

Compare os planos de quatro pré-candidatos à Presidência da República para lidar com as contas públicas do país, que somam um rombo de 300 bilhões de reais.

O vencedor das eleições deste ano receberá, junto com a faixa presidencial, uma “bomba-relógio” fiscal, cujo processo de desarme não será nada fácil. Diante do tamanho do problema, que exige um ajuste fiscal de assombrosos 300 bilhões de reais, VEJA perguntou aos sete presidenciáveis com melhor colocação nas pesquisas quais são seus planos para resolvê-lo. O assunto, dadas as suas implicações junto à massa do eleitorado, tem sido cuidadosamente evitado por certos candidatos. O deputado federal Jair Bolsonaro (PSL-RJ), o ex-governador Ciro Gomes (PDT-CE) e o PT, que ainda não definiu seu candidato, negaram-se a dar qualquer declaração para esta reportagem. Confira as propostas de Marina Silva (Rede-­AC), Geraldo Alckmin (PSDB-­SP), Henrique Meirelles (MDB-DF) e Alvaro Dias (Podemos-PR):

Leia mais em Veja.

Desemprego estrutural – Sugestão de Leitura

O desemprego no Brasil sempre foi alto. Atualmente chegando a 13 milhões de trabalhadores, a mídia nacional e os comentaristas economia registram essa realidade. Na sua origem está a crise política e socioeconômica que levou à recessão, fruto de políticas econômicas equivocadas que aprofunda o desastre. O IBGE pesquisa mensalmente o emprego em 6 regiões metropolitanas, São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Recife e Salvador.“Leia o artigo de Hélio Duque na integra clicando aqui”

Iniquidade é multidimensional – Sugestão de leitura

Um novo conceito para medir a injustiça social no mundo foi criado e chama-se pobreza multidimensional.  Analisa as leis econômicas e trabalhistas, a concentração de renda nos países e as ações governamentais inibidoras do progresso social. No Brasil, o IBGE adotou nas suas pesquisas setoriais o conceito vigente no mundo. A pobreza multidimensional analisa não somente a renda individual da população. Engloba também a educação, saúde, habitação, o saneamento, segurança e setores afins. O dado apurado pela respeitável entidade que cuida da realidade socioeconômica brasileira aponta retrato do Brasil real. Constatou 60% da população vítima da pobreza multidimensional.“Leia o artigo de Hélio Duque na integra clicando aqui”

Perfil dos 11 supremos – Sugestão de Leitura

Em tempo de Copa do Mundo, além dos 11 jogadores da seleção, outros 11 personagens tem ativa presença na vida nacional. São os ministros do Supremo Tribunal Federal. O editorial de “O Estado de S.Paulo” (1-7-2018), é demolidor: “O STF deixou de ser uma casa onde se pratica o Direito, para se transformar numa casa de jogos, onde o que importa é ganhar e não interpretar e aplicar corretamente as leis”. O jurista Joaquim Falcão, professor de Direito da FGV-Rio, secunda: “O debate no Supremo deixou de ser político-constitucional. É política pura.” Brasileiro preocupado com o futuro do Estado democrático de Direito, que ajudei, como constituinte, a construir, fui pesquisar sobre o perfil dos 11 personagens da chamada corte suprema. O perfil político ideológico predomina majoritariamente. Decisões monocráticas atropelam a colegialidade do STF.“Leia o artigo de Hélio Duque na integra clicando aqui”

Santa Catarina se une em defesa da candidatura de Alvaro Dias

Centenas de lideranças políticas de diversos partidos e correntes políticas, adversários e concorrentes locais, se reuniram, nesta quinta-feira (12/7), em Florianópolis, em apoio à candidatura do senador Alvaro Dias à presidência da República.

Dois ex-governadores, cinco pré-candidatos ao governo de Santa Catarina, cinco deputados federais, senadores, dezenas de prefeitos, vice-prefeitos e vereadores de todas as regiões do Estado estiveram no encontro suprapartidário, e enalteceram a conduta ética e a luta de Alvaro Dias no combate à corrupção e na defesa da ética.

Estavam presentes, entre outros, os deputados Gelson Merizio (PSD), Esperidião Amin (PP), João Paulo Kleinubin (DEM), o deputado estadual Fernando Coruja (PODE), o senador Dário Berger (MDB) e Rogério Portanova, pré-candidato ao governo de SC pela REDE. Uma demonstração de que a união política de Santa Catarina em torno do projeto de Refundar a República pode superar as divergências regionais.

Alvaro Dias apresenta voto de pesar pela morte de Cândido Garcia

O senador Alvaro Dias apresentou, nesta quinta-feira (12/7), à Mesa Diretora do Senado, voto de pesar e apresentação de condolências à família, pelo falecimento do empresário Cândido Garcia, ocorrido no último dia 9, em Umuarama, no Paraná.

“Com a morte de Cândido Garcia perdemos alguém que foi um exemplo admirável de empreendedorismo e sobretudo de superação. Filho de família humilde, do interior paulista, quando menino, para ajudar nas despesas da casa trabalhou primeiro nas ruas de Tupã, engraxando sapatos; depois foi aprendiz de alfaiate e em seguida bancário, emprego que conseguiu conciliar com outro, de secretário de uma escola de nível médio.

No seu último emprego Cândido Garcia vislumbrou um caminho para a sua vocação de empreendedor e demonstrou a ousadia que iria caracterizá-lo por toda a vida: o ex-engraxate que chegara a secretário de escola, em 1969, aos 33 anos de idade criou, implantou e passou a administrar uma instituição de ensino superior, a Faculdade de Ciências Contábeis e Administrativas de Tupã.

Empolgado, o “doutor Candinho”, como Cândido Garcia passou a ser tratado carinhosamente depois que se formou em Direito, não parou mais de empreender, sempre na área educacional. Mudou-se em 1971 para Umuarama, no Paraná e a partir dali levou como ninguém o ensino superior a praticamente todas as regiões do estado, dando origem inclusive a duas universidades – criou a Unipar – Universidade Paranaense, sediada em Umuarama; e ajudou a implantar, como sócio fundador, o Cesumar – Centro de Ensino Superior de Maringá.

Hoje, graças ao trabalho e principalmente ao arrojo de Cândido Garcia, cerca de 20 mil jovens recebem formação de nível superior em mais de cem cursos de graduação e pós-graduação, inclusive doutorado. Tais cursos se espalham por cidades paranaenses como Maringá, Umuarama, Toledo, Guaíra, Paranavaí, Cianorte, Cascavel, Francisco Beltrão, Rolândia, São José dos Pinhais e também em Rondônia, onde ele se tornou sócio fundador do Centro de Ensino Superior de Ariquemes.

Na implantação e administração dessas instituições Cândido Garcia sempre teve a seu lado a esposa, professora Neiva Pavan Machado Garcia, vice-reitora da Unipar e os filhos Carlos Eduardo, reitor, Cláudia Elaine, Cássio Eugênio e Camilo Evandro, em cargos de diretoria.

A viúva e os filhos, com certeza, vão guardar para os netos, que já são oito, as demonstrações de reconhecimento que Cândido Garcia recebeu, ao longo de sua trajetória, por parte dos municípios aos quais levou os benefícios do ensino superior: ele recebeu títulos de cidadania honorária em Umuarama, Nova Olímpia, Toledo, Cianorte, Rolândia, Cascavel, Francisco Beltrão e Guaíra, além do título de Cidadão Honorário do Paraná.

Por sua intensa atuação na propagação do ensino superior, estou certo de que Cândido Garcia se faz merecedor também desta homenagem que me sinto honrado em propor, na forma de um Voto de Pesar pelo seu falecimento”, disse Alvaro Dias no requerimento.

Alvaro Dias reapresenta PEC que confirma prisão em segunda instância e retira benefícios dos parlamentares

O senador Alvaro Dias reapresentou, nesta quarta-feira (11/7), a proposta de emenda à Constituição (PEC) que legitima constitucionalmente a prisão de condenados em segunda instância. A PEC também acaba com a competência do Senado e da Câmara de decidir sobre a manutenção ou não de prisão em flagrante de parlamentar. O texto retira ainda da Constituição a competência das duas Casas do Congresso de sustar o andamento de processos contra parlamentares por crimes ocorridos após a diplomação. A PEC contou com a adesão de 30 senadores.

Alvaro Dias já havia apresentado a mesma proposta em 26/06/2017, mas, como houve retirada de assinaturas dos senadores, a PEC teve que ser retirada. O senador precisou, então, colher novas assinaturas para reapresentar a proposta na Mesa Diretora do Senado.

“Para não dependermos mais de recursos e diferentes interpretações da Justiça, precisamos legalizar constitucionalmente a prisão após condenação em segunda instância. Também precisamos suprimir a prerrogativa do Congresso de aprovar ou rejeitar a prisão de um parlamentar, e de suspender ações penais em curso. Estes são privilégios que precisam ser retirados da nossa Constituição, pois o que a sociedade deseja é que o sistema penal seja efetivo e que todo brasileiro seja realmente igual perante a lei”, afirmou Alvaro Dias.

A proposta apresentada pelo senador Alvaro Dias modifica o artigo 53 da Constituição, e acrescenta como novo parágrafo “desde a expedição do diploma, os membros do Congresso Nacional estarão sujeitos a prisão em flagrante de crime inafiançável, quando sobrevier condenação em segundo grau, ou preventiva e temporariamente quando utilizarem o cargo para a prática de crime”.

“Efetivamente, pretende-se abolir do texto constitucional expedientes que não se justificam no Estado Democrático de Direito. Só assim, estaremos contribuindo com a efetividade do sistema penal e com a promoção cada vez mais do princípio da igualdade perante as leis”, afirma o senador na justificativa de sua proposta.

Leia aqui a íntegra da PEC